quinta-feira, 9 de abril de 2009

Raio de verdade... o magro leva o gordo

Certas mudanças são como um raio. Rápidas, diretas, eficazes. Não é certeza se mudam pra melhor. E se não houver um risco, qual o sentido!

Ao redor sempre tem algo. Você olha pra direita, depois esquerda... vazio! Centralizar também não é uma boa idéia de alteração.

Revolucionar algumas estruturas. Derrubar umas, outras nos derrubam. Depois que entra no sistema tudo vira um jogo.

...

Escolhas são abundantes. Vem também como um raio em nossa realidade. Uma vontade de pausar sempre está por perto. Estou preparado. Armado. Na minha. É bom quando a vontade de parar aparece.

O certo é que resistência também vicia. É forte e gelatinosa. Corroe. Por isso precisamos sentir pra também corroer. Como qualquer outra coisa que façamos, é bem melhor sentir qual é...

...

Vemos tudo. Cada coisa bizarra que aparece por aí. Você fica numa janela estagnado a observar algo, parece perder tempo, mas quem corre ganha o que?

Os que dizem sempre estar por cima normalmente estão. São carregados pelos magros. Eles pesam bastante, sugam , exigem o que querem.

Não adianta ficar preocupado. Está tudo tão claro. Se você não vê, é só parar numa janela em frente ao movimento que verá.

...

Eu vi uma magrela esses dias, ela carregava uma gorda no guidão da bicicleta. É um retrato da nossa economia. Uma magrela a forçar seus músculos pra uma gorda ficar morgada.

...

Num simples andar observe... há magros de todas as idades, todos os pesos, nem todos os dentes. Carregam-nos. Esperança... onde está você agora! Que mérito nós temos pra definir dignidade? É digno quem carrega? Ou quem fica sentado?

...

Se houvesse uma oportunidade pra gorda e pra magrela, ambas que estavam na bicicleta. Uma janela aberta no fim do túnel. Quem venceria?

As vezes a magra vence, numa probabilidade justa e linear. Mas é uma incerteza. Vai que é um gordo que mantém a janela aberta e é ele quem decide na chegada?

Quem está sentado tem um exército em pé. Muitos já estão por aí mortos, máquinas apenas. Sem querer mudar, com seus sonhos a feder. Mais estagnados do que a verdade.

2 comentários:

  1. "Uma magrela a forçar seus músculos pra uma gorda ficar morgada"....Massa...rs

    ResponderExcluir
  2. é a gente né
    os trabalhadores

    ResponderExcluir